Category Feiras de Games


BGS na visão de uma não Gamer – Observações de um mundo desconhecido!


A BSG acabou já faz um tempo é bem verdade e como acontece todos os anos houve várias atrações interessantes, mas desta vez a BGS foi um pouco diferente para mim. Pela primeira vez fui a passeio e não a trabalho, logo tive tempo para observar as atrações com mais detalhes.

Justamente por estar lá, sem preocupação, resolvi levar a minha namorada, que não entende nada de videogame, com a intenção de observá-la nesse mundo que tanto lhe é desconhecido. Alguns elementos que conversamos eu já conhecia das edições passadas e foi muito interessante ser questionado com perguntas que nem sempre fazemos, justamente, por estarmos dentro desse mundo.

bgsA primeira coisa que chamou a sua atenção foi o fato da BGS possuir muitos cadeirantes auxiliando a entrada dos visitantes e dentro do evento informando as pessoas com dúvidas sobre onde se localizava determinado stand, a praça de alimentação e banheiros. Comentei que sempre vi a organização do evento ter essa linda iniciativa desde quando comecei a frequentá-lo, ou seja, a partir de 2012.

Quando, enfim, entramos no local e começamos a andar, reparei o quão impressionada ela ficou com relação o espaço interno. Os corredores eram largos, o que facilitava a locomoção. Esse foi o primeiro elogio que ela comentou comigo sobre a feira: a possibilidade de se locomover sem dificuldades.

Com relação aos stands das empresas, ela não deu tanta importância, afinal ela não conhecia nada ou quase nada. Sabendo disso fiz questão de levá-la para o stand do Playstation, X-Box, Ubisoft, Warner/FIFA e CD Red Project. Em todos os stands seus comentários giraram em relação aos jogos que “eram muito parecidos”, como por exemplo os “jogos de futebol”. Para ela era tudo a mesma coisa, nesse momento tive que explicar um pouco a diferença entra PES e FIFA.

capa_bgsApesar das similaridades entre os jogos, Just Dance e Gwent foram o que chamaram a sua atenção, principalmente pela curiosidade. Afinal ela ficou surpresa com um “jogo de dança” e me questionou dizendo: “mas desde quando nerd sabe dançar?”. Já o Gwent sua surpresa foi o fato de ser um jogo de carta e como tinha muita gente jogando, então expliquei que o Gwent é um jogo dentro de outro jogo, no caso estava me referindo ao The Witcher 3, que fez bastante sucesso e então resolveram lança-lo em uma versão solo. Também resumi o quanto vem crescendo os jogos de cartas digitais como Hearthstone.

Agora entre todos os jogos que lá estavam sendo exibidos o que mais a deixou interessada e quis saber mais, quase ao ponto de jogar o demo, foi Horizon: Zero Dawn. E o motivo foi muito simples: O fato do protagonista ser uma mulher. Nesse comento, ela estava realmente interessada em conversar sobre jogos, mais especificamente sobre um jogo ter uma mulher como personagem principal. Ela abordou a questão da representatividade feminina no mundo dos games, que é praticamente dominado pelos homens.

Para resumir essa minha (mini) pesquisa por observação, é interessante destacar dois pontos: 1) Que a BGS consegue surpreender pessoas que não estão relacionadas ao mundo dos games e 2) O fato de nem todos os jogos se resumem a futebol, tiro e explosão. Como citei, a Laura, minha namorada ficou surpresa ao encontrar um jogo de dança e de carta.

Agora só preciso esperar a próxima edição da BGS e conhecer as novas atrações.


Representatividade nos Jogos Digitais: as minorias gritam por atenção!


Antes de começar essa discussão informo a todos que me acompanham que propus fazer uma sequência de temas necessários ao meio, mas a cada semana com muitas novidades, existem algumas precisam ser discutidas no calor do momento. Sendo assim abordarei os temas já levantados em futuros próximos e deixarei junto o link do artigo anterior para não ficarem perdidos. Dito isso vamos ao grande destaque da última semana: Brasil Game Show.

brasil-game-show-ft-img

Segundo o site da Brasil Game Show a Feira é o local escolhido para a realização de mais de 80% dos anúncios e lançamentos da América Latina. Além disso, conta com presença das principais empresas do segmento de games. Em 2015, o evento contou com a presença de cerca de 180 marcas, que tiveram a oportunidade de atingir e interagir com as 300.138 pessoas que circularam pela feira.

Nesse ano não foi diferente. Com grandes lançamentos e em um novo local a feira foi sinônimo de sucesso tanto para o público como para produtores. Dentre os produtores destaco os indies que superaram as expectativas tanto em qualidade como em quantidade. Em três dias de evento conversando e jogando observei um aumento significativo na qualidade em relação ao último ano; mecânicas diferentes, gráficos trabalhados, histórias desenvolvidas.

Por outro lado os problemas persistem: equipes despreparadas para vender seu produto, jogos muito bonitos, mas pouco criativos; histórias clichês e o mais interessante para nós que estamos começando nossa aventura nesse meio: minorias gritando por atenção. E quem são essas minorias? Vamos aos números.

41ywzlf3k3l

 

“Os homossexuais representam 18 milhões de pessoas no Brasil, com um potencial de consumo de mais de R$ 150 bilhões por ano, de acordo com a Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes (Abrat-GLS).”(fonte)

Diante da sociedade, deficientes e familiares atravessam obstáculos

 

 

“Dados do IBGE revelam que 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) considerou quatro tipos de deficiências: auditiva, visual, física e intelectual. “ (fonte)

large

 

 

Segundo o IBGE, os negros (pretos e pardos) eram a maioria da população brasileira em 2014, representando 53,6% da população. Os brasileiros que se declaravam brancos eram 45,5%. (fonte)

 

 

53d68526f460005ce18a78be9fb8b568-d5xly6a

 

 

“A atual população indígena brasileira, segundo dados do Censo Demográfico realizado pelo IBGE em 2010, é de 896,9 mil indígenas.“ (fonte)

 

 

Olhando esses dados não é necessário dizer muito não é mesmo? 18 milhões de possíveis jogadores que não se sentem representados por não possuírem a mesma orientação sexual que a maioria da sociedade. 6,2% de possíveis jogadores de uma população de mais de 204 milhões de brasileiros que sofrem com a falta de acessibilidade aos jogos nas mais diversas plataformas. E por aí vai!

Mas lembre-se que isso é uma PEQUENA PARTE de um grupo composto por diversas minorias que não se encaixam ao padrão cultural imposto, mas trabalham e possuem renda para gastar com algo que traduzam um pouco de sua história. É hora de ser menos preconceituoso, conhecer novos públicos, explorar novas culturas e produzir material para quem busca ao menos existir em uma sociedade injusta e desigual, mesmo que tudo comece em um ambiente imaginário e virtual. Concordam? Acreditam em públicos em potencial? Vamos discutir :]


Se você gosta de jogar ou sonha em ser desenvolvedor, a BGS é para você!


Estamos na semana da Brasil Game Show (BGS)! Um momento de grande euforia para todos os jogadores brasileiros. O que muitos esquecem é que este é também um grande momento para os desenvolvedores de jogos.

brasil-game-show-bgs-marketing-gamesSabemos que o foco fica sempre em torno dos grandes títulos e das grandes empresas. Vamos para o evento jogar Horizon Zero Dawn, For Honor, Forza Horizon 3, Final Fantasy e muitos outros. Vamos para celebrar a cultura nerd sem preconceitos, dividindo com outros aficionados o amor por este universo.

O que muitos esquecem é que este é também um momento super importante para os desenvolvedores independentes de jogos. O público alvo destas empresas está, de maneira exclusiva ao longo dessa semana, com a atenção voltada para a BGS e, consequentemente, para os jogos da feira.

Todos querem algo a mais

A dinâmica é simples. O público entra na feira afoito pelas novidades mundiais. Eles passam horas em filas e tem a oportunidade de experimentar estes títulos. A grande sacada está aqui. Fazer um jogo para um grande público é um trabalho de repetição. Pouco pode ser mudado, ou o jogo passa a ser muito arriscado para a empresa.

É por isso que vemos tantos títulos sendo lançados praticamente iguais ano após ano. Eles estão calculando os riscos e jogando seguro. Por isso, depois de algum tempo, o jogador teve tudo o que queria, mas ele sente falta de algo. De uma melhoria, de uma inovação: de algo que seja diferente.

areaindie

A Reviravolta Indie

É exatamente neste momento que o pavilhão indie começa a brilhar. Este espaço fica muito vazio no começo da feira, mas gradativamente ele vai somando público.  Somando gente e atenção. O que era antes uma corrida pelos jogos mais famosos passa a ser uma busca por algo capaz de tirar do lugar comum.

Por isso, faço um convite. Teste os jogos do pavilhão indie. Teste aqueles que você acha legal e teste os que você acha chato. A experiência vai se tornar uma caça ao ouro extremamente recompensadora. Será exatemente o que um jogo deve ser: divertido!


BIG abre inscrições para o maior Festival de Games da América Latina


As submissões para o BIG (Brazil’s Independent Games Festival) estão abertas! Desenvolvedores de todos o mundo estão convidados a participar do 3º maior festival de games do mundo e o 1º da América latina.

A inscrição é gratuita, basta acessar www.bigfestival.com.br  e enviar o seu game!

Competição internacional elege os melhores jogos indies do ano. Poderão participar jogos publicados há menos de 2 anos (a partir da data de realização do Festival).

Prêmios do Júri:

big-brazil's-independent-games-festival

Créditos Imagem: redbull.com

 

Melhor Jogo: viagem para Brasil para os 6 finalistas + Troféu e prêmio de R$ 10.000
Prêmio do Melhor Jogo da América Latina: Troféu e prêmio de R$ 15.000
Prêmio Melhor Jogo Brasileiro: apoio para viagem* + Troféu e prêmio de R$ 15.000
Melhor Som: Troféu
Melhor Arte: Troféu
Melhor Narrativa: Troféu
Melhor Gameplay: Troféu
Inovação: Troféu
Melhor jogo educacional ou de aprendizagem: Troféu e prêmio de R$ 5.000

Prêmios do Público:

Melhor jogo – voto popular (concorrem os jogos expostos no local de realização do Festival): Troféu e prêmio de R$ 5.000

Prêmios especiais:

Melhor jogo ambiental – Patrocínio Novelis (para jogos sobre a reciclagem de materiais como o alumínio, consumo consciente, redução do consumo de água ou energia, redução das emissões de carbono etc.): Troféu e prêmio de R$ 2.000

BIGLogoOs melhores jogos serão selecionados pelo Comitê de Seleção do Festival e expostos no Centro Cultural São Paulo, entre 25 Junho à 03 de Julho, apresentando os melhores jogos, tanto para o público brasileiro quanto para os maiores players da indústria de jogos, portanto não perca o prazo para submissão do seu game que vai até o dia 25 de abril!

Além da mostra competitiva, os jogos brasileiros também podem ser selecionados para a mostra não competitiva BIG Booth, que selecionará até 20 jogos para exposição no Festival. Para participar dessa mostra, basta se inscrever normalmente no Festival. Os jogos do BIG Booth serão selecionados pelo mesmo Comitê que seleciona os jogos da mostra competitiva.

Veja o regulamento completo aqui.

* Finalistas brasileiros que não morem em São Paulo receberão apoio para passagem de até R$ 500 mais hospedagem

Serviço:
BIG – Brazil’s Independent Games Festival

Quando: De 25/06 à 03/07

Onde: Centro Cultural de São Paulo
Endereço: Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, São Paulo – SP

Prazo para inscrição: 25 de abril de 2016


Últimos dias para garantir ingressos com desconto de até 35% para a Brasil Game Show


A Brasil Game Show (BGS) encerrará no próximo dia 15 o 4º lote de ingressos para a oitava edição do Evento. Até esta data, os fãs de jogos para PC, Console e Mobile podem garantir suas entradas com até 35% de desconto e adquirir o ingresso individual para um dia de Feira, meia-entrada, por apenas R$55,00, ou o ingresso Premium, que garante acesso a todos os dias de Evento, inclusive o dia 08, exclusivo para Imprensa e Business, por R$299,00.

Recargo-del-35-Por-CientoO benefício da meia-entrada é garantido a todos que doarem 1kg de alimento não-perecível na entrada do Evento, além de estudantes, portadores de necessidades especiais, idosos com idade a partir de 60 anos e professores, todos mediante apresentação de comprovação.

SERVIÇO – VENDA DE INGRESSOS BGS 2015
 
Ingresso Individual: Ingresso para 01 (um) dia de Feira – 09, 10, 11 ou 12 de outubro – R$55,00 (meia-entrada)
Passaporte: Dá direito a todos os dias de Feira abertos ao público – 09, 10, 11 e 12 de outubro – R$220,00 (meia-entrada)
Ingresso Premium: Dá direito a todos os dias de Feira, inclusive o dia exclusivo para Imprensa e Business – 08, 09, 10, 11 e 12 de outubro – R$299,00
Formas de Pagamento: Boleto Bancário ou Cartões Visa e Master

Ingressos para a Comic Con Experience 2015 começam a ser vendidos em 9 de junho


A segunda edição da CCXP – Comic Con Experience, o maior evento de cultura pop da América Latina que acontece entre os dias 3 e 6 de dezembro, inicia a venda de ingressos em 9 de junho, ao meio dia (horário de Brasília). Confira os preços da meia-entrada ou ingresso social:

ingressos-CCXP-Comic-Con-Experience-marketing-games

Imagem Divulgação CCXP – Comic Con Experience

· 03/12 (quinta-feira) – R$ 69,99
· 04/12 (sexta-feira) – R$ 99,99
· 05/12 (sábado) – R$ 119,99
· 06/12 (domingo) – R$ 109,99
· Pacote para os 4 dias de evento – R$ 319,99

O benefício da meia-entrada ou ingresso social, oferecido a estudantes de posse da carteirinha, idosos, professores e portadores de necessidades especiais, é estendido a todos que doarem um livro – entregue em bom estado de conservação na entrada do evento –, que posteriormente será incluído em cestas básicas enviadas a famílias carentes de todo o país graças à parceria com o projeto Leitura Alimenta.

Os ingressos poderão ser adquiridos pelo site www.ccxp.com.br com valor promocional para o primeiro lote, que pode ser parcelado em até 12 vezes no cartão de crédito. A opção de boleto é somente para pagamento à vista.

Ivan Costa, sócio do evento
“O sucesso da Comic Con Experience 2014 levou a uma expectativa ainda maior para o evento deste ano, traduzindo-se em mais expositores e atrações, além do maior interesse pelos ingressos. Recomendamos aos fãs que garantam o seu ingresso o quanto antes para assegurar sua participação em mais uma edição épica da CCXP”.

full-ingressos-CCXP-Comic-Con-Experience-marketing-gamesFull Experience

Os ingressos Full Experience oferecem a experiência definitiva dentro da CCXP para que o fã aproveite o evento ao máximo, evitando filas e com serviços e itens exclusivos. O pacote inclui credencial colecionável exclusiva que dá direito a acesso prioritário e sem fila ao pavilhão nos quatro dias do evento; acesso ao estacionamento VIP, sem custo adicional; entrada garantida e assento reservado e personalizado em área VIP próxima ao palco no auditório principal em todas as atividades, incluindo as concorridas pré-estreias de filmes; foto e autógrafo com quatro dos artistas convidados do evento, incluindo os recém-anunciados Misha Collins e Caity Lotz; 4 colecionáveis em escala 1:10 produzidos pela Iron Studios que serão vendidos exclusivamente na CCXP; sacola exclusiva do evento; camiseta, boné, chaveiro e caneca da CCXP; pôster oficial do evento autografado pelo artista; acesso ao lounge VIP, com alimentação e serviço de concierge no local. O pacote Full Experience tem quantidade limitada e custo de R$ 5.990,00, também com pagamento em até 12 vezes.

Ivan Costa, sócio do evento
“Como aconteceu na primeira edição da Comic Con Experience, teremos muitas surpresas para todos que apreciam um evento cheio de convidados nacionais e internacionais, produtos exclusivos e atrações inéditas no evento que já faz parte do calendário cultural do país”, destaca Ivan.

Com atrações de peso e conteúdos para fãs de quadrinhos, cinema, programas de TV, games, literatura, colecionáveis, cosplay, desenhos animados e outras áreas da cultura pop, a CCXP 2015 espera mais de 120 mil pessoas nos quatro dias.


Startup Brasileira de Games é selecionada para mega-evento nos EUA


content-2729-1-emerge-logosA startup gaúcha Cupcake, criadora dos jogos Letra de Ouro e Palavra de Ouro, foi selecionada entre centenas de outras empresas para participar do eMerge Americas, evento de tecnologia que acontece entre os dias 1 e 5 de Maio de 2015 em Miami, nos Estados Unidos. O evento terá a participação das mais badaladas startups, investidores, grandes empresas, mídia e celebridades, como o cantor e empresário Pitbull. Além disso, o eMerge Americas será transmitido pelas redes NBC, Universal e Telemundo.

A Cupcake participará do Startup Showcase, onde as empresas terão espaço para expor suas inovações para os participantes do evento. A empresa também vai para o evento com o objetivo de encontrar investidores. O jogo Letra de Ouro, sucesso no Facebook, é o principal produto que a Cupcake leva para o evento. Com mais de 200 mil jogadores e cerca de 3 mil novos por dia, o Letra de Ouro é um dos maiores sucessos entre os jogos brasileiros, e está disponível em Português, Espanhol e Inglês.

Site do eMerge Americas: www.emergeamericas.org
Site da Cupcake: www.cupcakese.com


Feira BGS contará com o dobro de expositores no “Pavilhão Indie”, espaço dedicado à produção nacional


Para apresentar seus cases de sucesso, desenvolvedores independentes estarão presentes na Brasil Game Show (BGS), que acontecerá entre os dias 08 e 12 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo. Na contramão da economia brasileira, produtoras de games estão crescendo e se destacando no cenário mundial.

Já em 2014, seu primeiro ano, o “Pavilhão Indie” fez sucesso no Evento e garantiu aos expositores presentes o fechamento de inúmeras parcerias e novos projetos. Para 2015, a área dedicada a estas empresas será ainda maior e já tem garantido o dobro de participantes da edição anterior. Ao lado de alguns dos mais famosos nomes do mundo dos Games, os desenvolvedores independentes reforçam a importância da Brasil Game Show para o cenário nacional e já mensuram o retorno de participar da Feira. Conheça mais sobre alguns “Indies” já confirmados para a BGS 2015:

destaque_indie_8_empresas_noticia

Jogo brasileiro para PlayStation 4 e Xbox One

A Duaik Entretenimento, que surgiu em 2010, em São Paulo, quando os irmãos Pérsis e Ricardo Duaik decidiram montar uma pequena empresa desenvolvedora de jogos próprios, participará da BGS pelo segundo ano consecutivo. Sobre sua participação em 2014,

Pérsis Duaik, Fundador
“A experiência foi fantástica e tivemos uma cobertura da mídia que não seria possível sem este tipo de exposição. Hoje, a BGS é um Evento obrigatório em nosso calendário, tanto na parte de produção e divulgação do nosso trabalho, quanto na realização de negócios”.

Pérsis Duaik
“Atualmente, Aritana e a Pena da Harpia é nosso projeto mais famoso, ganhando prêmios ao redor do Brasil e recebendo reconhecimento internacional ao ter a chance de aparecer em grandes consoles do mercado, como o XBox One e o PlayStation 4. A BGS é uma imensa oportunidade para conhecer melhor o jogador e o jogador conhecer melhor a produção de um jogo e opinar de perto nos produtos nacionais junto com os desenvolvedores”.

Curso no Canadá promove encontro de talentos, que se uniram por uma boa causa


Durante um curso de Game Design no Canadá, dois alunos brasileiros perceberam que a paixão pelos games poderia levá-los longe. Assim, nasceu a Digi Ten Studio. Hoje, com novos parceiros para atender a demanda específica de cada projeto, a Digi Ten investe no principal, o “Dig a Way”, jogo de puzzle/ação para smartphones e tablets. De olho no Evento desde 2013, a empresa fez sua primeira participação na BGS em 2014, quando, segundo Davi Costa, um dos Sócios-Fundadores, a aceitação do público e os contatos que fizeram foram fundamentais para seu negócio.

Davi Costa, Sócio Fundador
“Participamos da BGS 2013 como visitantes. Ao perceber o potencial da Feira, decidimos ali mesmo que no ano seguinte teríamos nosso próprio estande. E foi isto que aconteceu! Em 2014, expusemos o Dig a Way no Evento, e a aceitação e contatos que fizemos foram realmente cruciais para o nosso negócio. Através da nossa participação na BGS, tivemos uma exposição na mídia, tanto em TVs, sites e canais de YouTube, que nos foi muito valiosas. Também prezamos muito pelo network feito lá com clientes, parceiros de negócios e outros desenvolvedores indies como nós, que compartilham experiências, dicas e contatos”.

Fomentar a indústria brasileira com jogos autorais

A Reload Game Studio, empresa de jogos de São Paulo, surgiu em 2011, após diversas conversas entre dois amigos, ex-colegas de classe do curso de Game Design. Ambos tinham a visão de fomentar a indústria brasileira com jogos autorais e decidiram investir na ideia.

Para Leandro Carlos, Game Programmer da empresa, a BGS é o momento ideal para fazer contato com o público, receber um feedback direto e expor seus projetos.

Leandro Carlos, Game Programmer
“Nós da Reload Game Studio ficamos muito orgulhosos de nossa última participação na BGS, e, para 2015, nosso foco será trazer novidades e agradar ainda mais o público! Em 2015, nosso objetivo é mostrar jogos rodando nas plataformas da Sony (PS Vita e PS4), além de novos projetos”.

Sucesso e previsão de lançamento na Steam

A Garage 227 Studios foi formada em 2014 por três instrutores de uma escola de games com o objetivo de desenvolver jogos independentes e produzir conteúdo para outros estúdios da mesma área. Atualmente, o principal projeto da empresa é o jogo Shiny, com lançamento previsto para Junho deste ano na Steam (PC, MAC e Linux) e Xbox One.

Já em 2014, em sua primeira participação no Evento, a Garage 227 pôde sentir o retorno do público e mídia, que permitiram, inclusive, o fechamento de negócios e parcerias.

Daniel Monastero, Sócio-Fundador
“A BGS é de extrema importância para nós! Grande parte dos nossos esforços de Marketing e Relações Públicas se concentram nesse grande Evento, onde podemos mostrar nossa empresa e jogos para o mercado e para os consumidores”.

Professores de curso se unem para formar empresa

A Odin Game Studio, que já desenvolveu mais de 20 advergames e apps em geral, participará do Evento pela primeira vez, buscando parceiros para futuros e atuais projetos e o reconhecimento nacional como empresa desenvolvedora de jogos digitais.

Alexandre Kikuchi, Co-Fundador e Diretor Executivo
“Chegou a hora da Odin se expor mais, mostrar que nosso pequeno estúdio está crescendo e que nossos projetos têm um futuro também no Brasil. Estamos focando também no público brasileiro e acreditamos que a BGS 2015 vai ajudar muito nesta conquista”.

Amigos investem em ideia promissora e resultados surpreendem

A Overlord Game Studio, estúdio independente de desenvolvimento de jogos com sede na cidade do Rio de Janeiro, que surgiu de uma ideia entre amigos, tem como principal objetivo a criação de jogos com alma e paixão. Responsável pelo game “Tiny Little Bastards”, um jogo de plataforma em 2D que conta a história de um taverneiro Viking em um mundo fantasioso povoado por personagens inspirados em diversas culturas e mitologias (África, China, Celtas, Vikings).

João Requião, Co-Fundador
“Levar a Overlord Game Studio à Brasil Game Show é um antigo objetivo nosso. Só temos a ganhar nesse novo capítulo da história do nosso estúdio e estamos prontos para mais esse desafio!”.

Proposta de diversão era seu principal objetivo

A VOID Studios, empresa que surgiu em 2014 através da reunião ideias e objetivos em comum de desenvolvedores que se conheceram através de uma escola de games, está focada em desenvolver entretenimento digital através de seus jogos para PC, Console e Mobile (iOS e Android). Para isso, sua presença na BGS 2015 é fundamental.

Luiz Ricardo, CEO, Level Designer e 3D Artist
“Jogos indies têm ocupado cada vez mais espaço no mercado e a VOID Studios estará na BGS 2015 para mostrarmos o potencial dos nossos jogos”.

Segundo Luiz Ricardo, a VOID Studios estará na BGS 2015 apresentando seu principal projeto para este ano, o Eternity, um jogo de RPG baseado na mitologia nórdica, que trará uma jogabilidade diferenciada e tema envolvente. Além disso, outros jogos serão apresentados.

Desejo de criar jogos acessíveis e divertidos

A Streamy surgiu, entre outras coisas, do grande desejo de criar jogos acessíveis e divertidos. Localizada em São Paulo, capital, a empresa existe desde 2013 com o objetivo trazer games de alta qualidade e acessíveis a todos. Seu primeiro game é um MMORPG inteiramente 2D para PCs chamado Bloodstone: The Ancient Curse. Em 2015, a Streamy fará sua primeira participação na BGS e a expectativa é grande.

Reginaldo Tenório, Consultor de Marketing e Roteirista
“A BGS é o local certo para exibirmos nosso jogo, a Feira referência da América Latina, onde mostraremos, em primeira mão, o belo jogo que estamos desenvolvendo”.

Segundo ele, o objetivo da empresa é conseguir o máximo de visibilidade e mostrar, de maneira geral, que é possível, sim, criar games de qualidade no Brasil.

BRASIL GAME SHOW 2015

Data: 08 a 12 de Outubro
Local: Expo Center Norte – Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – SP
Horários:
08 de Outubro (exclusivo para Imprensa e Business) – 13hs às 21hs
09 a 12 de Outubro (público geral) – 13hs às 21hs

Informações e compra de ingressos: www.brasilgameshow.com.br


Game Developers Conference 2015


A Game Developers Conference 2015 (conhecida como GDC)  acontece na próxima semana de 2 a 6 de Março no Moscone Center, em São Francisco, CA. A GDC é  a maior e mais longa feira voltada exclusivamente para profissionais da indústria de jogos do mundo todo. A feira atrai mais de 24 mil participantes, e é o principal fórum onde os programadores, artistas, produtores, designers de jogos, profissionais de áudio, negócio e outros profissionais envolvidos no desenvolvimento de jogos se reúnem para trocar idéias e moldar o futuro da indústria. Aqui destacamos algumas sessões notáveis ​​para você deixar no seu radar e se preparar para o show. 

Não perca o desenvolvedor indie Adriel Wallick explicando o valor positivo de limites em “Um Ano de restrições: Como Limitações melhoraram o meu processo de desenvolvimento”, durante a Indie Games Summit. Depois de tentar desenvolver um jogo por semana, durante um ano inteiro, Wallick vai tentar quebrar a diferença entre auto-restrições constritivas e limitações construtivas – e como este último pode melhorar suas práticas de criatividade, motivação e desenvolvimento, ótimo conteúdo para os jovens developers.

Como parte do Game Narrative Summit, Ethan Walker, da Monolith Productions irá compartilhar lições aprendidas sobre video game em storytelling em “Abraçando a sua narrativa Nemesis – Storytelling Cinematic na Terra-Média: Shadow of Mordor.” Usando seu trabalho em Shadow of Mordor como um exemplo, ele vai compartilhar soluções práticas para o desenvolvimento de histórias, personagens e cenários que dão suporte e enriquecer sua premissa dominante.

Durante a Community Management Summit, a experiente estrategista de comunidades, Chloe Swain vai oferecer conselhos valiosos sobre gestão de equipes de moderadores da comunidade em uma sessão intitulada: “Free Your Mind Management, uma equipa comunitária de sucesso Will Follow”. Vale à pena conferir para conhecer a introspecção em que os moderadores se encontram, como pensam, e que tipo de infra-estrutura técnica e pontos de vista filosóficos podem trazer para contribuir para os resultados de maior sucesso ao trabalhar com eles. Esta palestra da GDC me interessa muito em particular, uma vez que já atuei na área e acredito muito na importância deste contato com a comunidade para o sucesso do jogo – imperdível para quem tem planos de entrar de cabeça no desenvolvimento.

O evento conta com summits de eSports, Free to Play, narrativa de jogos e games para smartphones entre outros temas recorrentes o mercado mundial atual, estes são apenas alguns destaques e recomendo fortemente que você explore o evento por conta própria e encontre seus próprios temas favoritos. Para mais informações sobre estes ou outros bate papos incríveis, acesse o calendário oficial do evento com summits que são atualizados diariamente.

Diversos summits costumam ser disponibilizados online, você pode também ver antigas palestras e informações de eventos passados no GDC Vault – o evento como um todo é um verdadeiro primor para desenvolvedores iniciantes que buscam inspiração e orientação em diversas frentes, não vai perder heim?

Fonte: Gamasutra


Pesquisa Game Brasil 2015 – Panorama do Mercado


A Campus Party – tradicional evento nerd que dispensa apresentações – sempre rende uma quantidade enorme de conteúdo, mesmo quem não tem a oportunidade de visitar a feira como eu, acaba consumindo alguma novidade sensacional – é o caso desse vídeo aí do Guilherme Camargo. Pra quem não conhece o cara, ele foi um dos responsáveis pela retomada do crescimento do mercado de videogame no Brasil, liderando a equipe de Xbox e em 2013 ele foi convidado para ser sócio da Sioux que afirma ter DNA gamer. Com mais de 13 anos de experiência, a Sioux busca atender oportunidades e necessidades do mercado que direcionam o desenvolvimento de produtos próprios, projetados para atender diferentes segmentos e audiências entre eles jogos (advergames, jogos sociais e educacionais), sistemas e plataformas gamificadas. O trabalho deles é bem legal e super reconhecido por aí, basta pesquisar.

Os resultados da pesquisa apresentada pelo Guilherme são muito bacanas, ele fala por exemplo que o celular é usado por 82,8% dos jogadores brasileiros, contra 71,3% de participação dos PCs e notebooks. Na sequência aparecem consoles, com 56,2%, tablets, com 37,4%. Embora o smartphone seja a plataforma mais usada, o jogador brasileiro é multiplataforma, 78,6% dos participantes jogam em mais de um dispositivo. 66,4% não vê problemas em baixar jogos gratuitos com publicidade, porém, somente 35,6% dizem que os anúncios não atrapalham a experiência.

Confira a palestra na íntegra e a apresentação de diversos outros dados bacanas sobre o nosso mercado no vídeo abaixo: