Category Gamification


Pesquisa Game Brasil 2015 – Panorama do Mercado


A Campus Party – tradicional evento nerd que dispensa apresentações – sempre rende uma quantidade enorme de conteúdo, mesmo quem não tem a oportunidade de visitar a feira como eu, acaba consumindo alguma novidade sensacional – é o caso desse vídeo aí do Guilherme Camargo. Pra quem não conhece o cara, ele foi um dos responsáveis pela retomada do crescimento do mercado de videogame no Brasil, liderando a equipe de Xbox e em 2013 ele foi convidado para ser sócio da Sioux que afirma ter DNA gamer. Com mais de 13 anos de experiência, a Sioux busca atender oportunidades e necessidades do mercado que direcionam o desenvolvimento de produtos próprios, projetados para atender diferentes segmentos e audiências entre eles jogos (advergames, jogos sociais e educacionais), sistemas e plataformas gamificadas. O trabalho deles é bem legal e super reconhecido por aí, basta pesquisar.

Os resultados da pesquisa apresentada pelo Guilherme são muito bacanas, ele fala por exemplo que o celular é usado por 82,8% dos jogadores brasileiros, contra 71,3% de participação dos PCs e notebooks. Na sequência aparecem consoles, com 56,2%, tablets, com 37,4%. Embora o smartphone seja a plataforma mais usada, o jogador brasileiro é multiplataforma, 78,6% dos participantes jogam em mais de um dispositivo. 66,4% não vê problemas em baixar jogos gratuitos com publicidade, porém, somente 35,6% dizem que os anúncios não atrapalham a experiência.

Confira a palestra na íntegra e a apresentação de diversos outros dados bacanas sobre o nosso mercado no vídeo abaixo:


560% de Retorno sobre Investimento com Gamificação! Sim, é possível!


De 10 a 13 de junho aconteceu em San Francisco mais uma edição do GSummit 2014, a maior conferência de gamificação do mundo. Lá acontecem palestras e workshops e cada vez mais começa a aparecer o que o mercado tanto deseja: números!

A Air Canada apresentou seu case na conferência e os resultados são impressionantes: 114mil cadastros, mais de 16mil citações nas redes sociais e um ROI (Return Over Investment = Retorno sobre Investimento) de 560%(!) para rebater quem ainda duvida do potencial da gamificação…

Ian Di tullo, diretor de fidelidade da Air Canada, apresentou o case lançado em 2013 em 2 campanhas. A promoção Earn Your Wings (ganhe suas asas) se utilizou de uma estratégia gamificada para fidelizar seus clientes, incentivando principalmente o status com um rank e badges a serem perseguidas.

Na campanha, os participantes podiam conferir e compartilhar seu status em um leadearboard de acordo com o número de wings (asas) que ganhavam a cada decolagem ou aterrissagem com a Air Canada. Eles ainda poderiam ganhar badges variadas como “Futebol Internacional” ou “Celebridade“.

badges

A gamificação ajuda muito também na comunicação com o cliente:

Ian Di tullo – Diretor de Fidelidade da Air Canada
Adicionar badges torna muito fácil incentivar tarefas complicadas. Por exemplo se você quiser que o cliente visite 3 novas cidades, voando o país todo e utilizando 2 vezes a primeira classe, é muito mais fácil disponibilizar uma badge incompleta do que tentar explicar isso por outros canais.


AirCanadaGameAlém de todos os incentivos de bônus em milhas, fazendo promoções paralelas com hotéis e locadoras de veículos, os top 10 do leaderboard ainda dividiram 10 milhões de milhas no final da promoção.

No fim, os participantes somaram mais de 438 mil aeroportos ganhando mais de 178 milhões de wings – aterrissagem ou decolagem – e mais de 156 milhões de milhas. A Air Canada ainda reportou que a campanha gamificada aumentou em mais de 24 milhões de dólares a receita da empresa.

Já pensou no potencial da gamificação no mercado de fidelidade no Brasil?

via: www.ophuspere.com
Fontes: www.earnyourwings.aircanada.com


Samsung entra com tudo na onda de Gamification!


A gigante coreana Samsung vem abocanhando cada vez mais fatias de mercado, seja ampliando sua gama de produtos e atuação no mercado ou em inserção nas diversas faixas etárias. Dessa vez ela acaba de lançar um pacote de conteúdos inteiramente relacionado à copa, e como já era de se esperar aderiu de vez ao conceito de Gamification. Todas as novidades buscam fidelizar o cliente aproximar o contato com a marca através do aumento da interação, o que tem tudo a ver com o conceito.

image005Dentre as novidades apenas duas delas não tem a ver com Gamification. Uma delas é um pacote chamado Anicons, com 12 emoticons relacionados à copa para uso na plataforma de conversa ChatOn e o Painel Futebol onde o usuário de uma TV da marca poderá acessar conteúdos e notícias, fornecidos pela ESPN, relacionados ao Brasil durante a copa e de seus times preferidos e campeonatos regionais após o evento.

GEDC0878Enfim, indo ao que interessa, a marca evoluiu para a versão 2.0 e estendeu o uso da Plataforma Entre no Jogo (antes operando apenas via web) para TVs, Smartphones e Tablets. TVs novas já terão o app e anteriores a partir de 2013 poderão receber o aplicativo podendo haver necessidade de aquisição do Evolution Kit. Nos televisores a interação entre os usuários poderá acontecer antes e depois do jogo, já nos outros aparelhos funcionará também durante a partida. Essa plataforma permite que os usuários conversem e vejam conteúdos como notícias e estatísticas geradas por parceiros da Samsung como ESPN e outros. A novidade que nos interessa é que antes das partidas podemos apostar nos placares de cada jogo e fazer bolões entre amigos, os prêmios para quem ganha as apostas são em forma de medalhas que poderão ser acumuladas.

image011O carro chefe é chamado de Galaxy 11 e dá nome a toda ação de marketing. Fifa 14, que já teve mais de 2,2 milhões de downloads só no Brasil, ganha essa versão exclusiva para Smartphones e Tablets da Samsung onde a temática é uma invasão alienígena e o jogador precisa ganhar uma partida de futebol contra os invasores para salvar a terra. Em Fifa 14 Galaxy 11 o desafio você jogará com a Seleção do Planeta Terra contando com craques como Lionel Messi e Neymar. O jogador poderá também jogar contra o G11 e se ganhar como recompensa receberá o “Pack Ouro Raro” que não está à venda. Esse pack possibilita a compra de jogadores para montar o seu time, incluindo os jogadores do G11.

Há também três jogos derivados dessa versão de Fifa. Um deles é o Cannon Shooter, um jogo de gol a gol contra um alienígena, só que ao invés de fazer você atinge seu oponente (ou poderá ser atingido) com a bola. Outro derivado é o Soccer Wars, um misto entre o Cannon Shooter e um jogo de disputa de habilidades onde o jogador deve realizar algumas embaixadinhas e firulas com a bola para ter a chance de chutar em seu oponente, mas também deverá se defender do chute adversário. Os comandos a serem realizados por toques são exibidos na tela, mais ou menos como acontece em Guitar Hero. Para quem não gosta tanto de futebol há também o Galaxy 11 Invasion que é um jogo de corrida infinita, onde deve-se desviar de obstáculos e seguir pelo caminho certo, mas seguindo a mesma temática.

GEDC0912A equipe brasileira também teve participação nesse projeto, sendo responsável pela criação do Futebol de Botão, que acredito dispensar explicações, afinal quem nunca jogou futebol de botão ou mesmo improvisou o jogo com tampinhas? Além de jogar com toques na tela e o acelerômetro, a grande novidade é que você poderá jogar com seu amigo usando dois Smartphones ou Tablets conectados via Wi-Fi Direct e também poderá projetar o jogo em uma das novas TVs da marca, usando o Smartphone ou Tablet apenas como controle e fonte de informações individual.

GEDC0890E para finalizar que tal tirar uma foto com o app Câmera Futebol? Sim, até a câmera fotográfica entrou na onda de Gamification. Além de tirar fotos divertidas realizando montagens com jogadores da copa e emitindo sons temáticos no momento do disparo, você poderá escolher os jogadores do jogo Fifa 14 Galaxy 11 para aparecerem na montagem com você.

Tudo isso ainda é reforçado com a chegada do Game Pad da Samsung para celulares da marca no começo do ano.

A melhor notícia é que a criação desses conteúdos Gamificados, apesar de estar relacionada à copa, não depende diretamente dela. Na conferência de imprensa realizada na Samsung, quando perguntados pela Marketing & Games os gestores responsáveis pelos produtos afirmaram que todo conteúdo relacionado ao conceito de Gamification permanecerá disponível após a copa, sendo que as apostas disponíveis na Plataforma Entre no Jogo passarão a funcionar com times e campeonatos locais.


6 previsões para Gamificação em 2014!


Mario Herger autor do livro “Gamification at Work”, em conjunto com a pesquisadora Janaki Kumar, postou 6 previsões sobre a Gamificação para 2014 que foi traduzido pelo pessoal da Opusphere, o resultado você confere abaixo :

1. Gamificação veio para ficar
Estamos no 4º ano de gamificação, com mais de 20 eventos sobre o assunto em escala global ocorridos neste ano. Mais de 100 estudos e teses de doutorado/mestrado foram publicados este ano, o que demostra um interesse claro e viável em gamificação. E não só o tema mas o nome em si também! Mesmo que você não goste do termo, esta batalha já está perdida, desapegue e siga em frente.

Gamification2. A área de Recursos Humanos vai liderar a gamificação nas empresas
As empresas estão fazendo um trabalho fenomenalmente catastrófico na gestão de seu recurso mais importante: pessoas! O Gallup já apontou que, em escala global, apenas 13% dos funcionários são engajados com suas empresas. Em outras palavras: 87% não estão engajados e podem chegar ao ponto de sabotar a própria empresa.

Apesar de gastarem milhões de dólares com a gestão e avaliação de seus funcionários, praticamente nenhuma gera dados suficientes para avaliar a capacidade e desempenho destas pessoas. E nem criam um ambiente favorável, com a gestão ativamente (e inconscientemente) sabotando este ambiente.

Veja este gráfico interativo publicado pelo Harvard Business Review que mostra o triste quadro do engajamento dos funcionários.

gallup

Gamificação resolve dois problemas para o RH: implanta uma experiência que envolve e motiva todos os funcionários de uma vez só e gera uma forma eficiente de coletar vários dados que servem de base na gestão e avaliação. Muitas empresas estão percebendo isso e é exatamente a área de RH quem está liderando a gamificação nestas empresas.

3. A gamificação vai conduzir Big Data e Cloud Computing
Os dados gerados pela gamificação serão muito maiores do que qualquer outro tipo de dados que a empresa possa gerar sobre ela mesma. Rajat Paharia, fundador da BunchBall, já fala isso há algum tempo e mostra em seu livro, Loyality 3.0.

Se cada funcionário gerar 100 registros com o seu dia a dia (responder emails, gerar relatório, visitar um cliente etc), uma empresa com 10 mil funcionários gera rapidamente um milhão registros por dia! Isto é uma quantidade de dados maior do que qualquer outro sistema (de gerenciamento, por exemplo) possa gerar. E ele pode ser usado de muitas maneiras pela empresa:

  • Para o funcionário mostrar em tempo real o que estão fazendo e como eles podem melhorar seu dia a dia
  • Para a empresa recompensar e dar um feedback em menos tempo.
  • Para o RH analisar e avaliar como estão se desenvolvendo as pessoas e as competências dentro da empresa
  • Para encontrar talentos dentro da própria equipe e alocá-los em diferentes projetos.
  • E como a maioria das tecnologias de gamificação são oferecidas como SaaS (Software as a Service), a combinação do serviço com o Big Data irá conduzir o desenvolvimento da nuvem também. Mesmo com NSA e algum ceticismo, a computação em nuvem é a única solução viável.

trabalhador-games4. Da negação à aceitação
A Gamificação está mudando hábitos e deixando a rotina das pessoas mais divertida. Diversos exemplos em educação, na saúde e números concretos mostram isso. E o interesse também está crescendo entre os funcionários das empresas. Com a SAP, Oracle, Microsoft e Accenture e seus funcionários falando sobre o assunto, não podemos mais ficar negando a importância da gamificação.

5. A gamificação vai crescer e perder a “inocência”
Saindo de pontos, badges e leaderboard (PBL), a aplicação de gamificação já está gerando métricas melhores e mais relevantes para as empresas, com abordagens cada vez mais sofisticadas, desenvolvendo motivações intrínsecas entre os funcionários com mecanismos e dinâmicas que vão muito além do PBL.

Em 2013 (e antes disso) vimos muitos usos militares e terroristas da gamificação e em 2014 talvez apareçam muitas outras aplicações que causem vergonha alheia… isto quer dizer que gamificação é uma coisa ruim? Não. Qualquer tecnologia pode ser usada para o bem ou para o mal, isto só quer dizer que a gamificação e seu conceito estão crescendo.

6. Convergência das tecnologias de Games e Gamificação
Como a gamificação nas empresas muitas vezes abrange jogos pontuais (serious games e simulações), fatalmente a tecnologia da indústria de jogos e as tecnologias na gamificação vão se convergir e caminhar para uma integração. Embora haja bastante espaço para novas empresas na área, ou elas oferecem uma solução que possua uma integração fácil com outras tecnologias, ou estas empresas vão ter que trabalhar muito e bastante integradas para a solução funcionar.

Concluindo, este é o melhor momento para começar a entrar de cabeça em gamificação participando de oficinas e conferências (a Opusphere irá realizar algumas em 2014, fique ligado!) e, como sempre falamos aqui e mais importante: não esqueça de se divertir!

Fonte: www.opusphere.com

 


Gamification ampliando mercados e criando valor as empresas!


O Gamification já vem sendo amplamente aplicado ao marketing, segundo o Ranking Forbes Global 2000  “previsões indicam que, neste 2014, mais de 70% das 2 mil principais organizações globais terão pelo menos uma aplicação “gamificada”, que pode variar entre dominar uma habilidade ou melhorar a saúde de quem interage.”

Esta estratégia de marketing pode ser utilizada pelas empresas tanto com foco no púbico externo, servindo para a divulgação, avaliação, captação e fidelização de clientes. Como também para o público interno, das empresas, pois podem aprender através de jogos e simuladores que auxiliam a realizar a educação corporativa das empresas.

starbucks-foursquareUm exemplo prático recente de como gerar interação com seu cliente através de uma plataforma gamificada ocorreu em 2010, quando a Starbucks ofereceu medalhas personalizadas no “Foursquare” para as pessoas que realizassem check-in em suas lojas e ofereceu descontos especiais para as pessoas que se tornassem prefeitos de uma loja individual.

A ideia é trazer para o cotidiano das pessoas o uso de conceitos usados nos jogos, como o alcance de novos níveis, o acúmulo de pontos ou de símbolos de status (medalhas e troféus), simbologia de êxitos quando objetivos importantes são alcançados e barras de progresso para atividades reais. Sempre em troca de alguma recompensa.

gamification-empresasO maior desafio das empresas reside em como explorar o gamification relacionando diretamente aos objetivos mercadológicos estabelecidos, aplicando conceitos de marketing e estudando o comportamento do consumidor, a fim de descobrir suas necessidades, desejos e demandas, estreitando relacionamentos entre marca e consumidores, engajamento colaborativo, divulgação de produtos e serviços de forma diferenciada, ampliando mercados e gerando valor de marca.

Outro fator importante diz respeito ao erro que as empresas estão cometendo em suas estratégias de marketing a longo prazo.

Gabe Zichermann (Game-Based Marketing, 2010)
“Eles estão falhando, porque as pessoas hoje estão buscando mais recompensa e um maior engajamento das experiências do que nunca.”
“A geração mais jovem é mais sintonizadas com os jogos do que as gerações anteriores.”

how-three-businesses-scored-big-gamification

A nova juventude exige uma experiência ainda mais envolvente, de tal forma que as empresas encontrem equilíbrio entre, tornar as ações mais envolventes o suficiente para que as pessoas prestem atenção a eles e manter o foco sobre seus serviços e produtos eles por um longo período de tempo.

Existem bons exemplos no exterior, mas será que as empresas brasileiras estão preparadas para aplicar os conceitos de Gamification aos seus negócios?

 


Gamification, uma nova tendência do Marketing Digital!


Atualmente vivemos a era da informática, que nos propicia obter informações de maneira prática e rápida através das mídias digitais. Porém estas informações nem sempre são absorvidas de maneira correta pelo receptor da mensagem.

HiRes-resized-600Obter informação é muito importante, mas a maneira como se transmite a mensagem é tão importante quanto. Por isso, visando estudar o comportamento entre os indivíduos e a maneira como se comunicam, seja em ambiente corporativo ou familiar, diversos estudos e terminologias vem sendo desenvolvidas. Neste âmbito surge o conceito “Gamification” (ou no português “Gamificação”) este que é considerado uma das ultimas tendências no setor de comunicação, marketing e negócios estando diretamente relacionados à área de motivação e interatividade. No entanto, muitos profissionais e a própria área Academica não conhecem suficientemente.

A terminologia Gamification foi cunhada por Nick Pelling em 2002 (wikipedia, Gamification, 2013) onde descrevia o termo como o ato de tornar um dispositivo eletrônico em uma plataforma de jogos mais divertida, porém só se tornou popular em 2010, com outra descrição, sendo esta, aquela que é utilizada nos dia de hoje, como sendo o uso de elementos dos games e técnicas de game design, dentro de contextos que não são games, a fim de envolver os usuários e solucionar problemas.  Por se tratar de um termo recente ainda não existem muitos artigos relacionados e poucos estudiosos se aprofundaram no tema em âmbito nacional, portanto grande parte dos textos que abordam o tema é produzida por escritores internacionais.

foursquare-badgesUm dos principais exemplos Gamification é o “Foursquare” que é um modelo de negócios baseado em elementos de jogo. Nele o usuário pode marcar sua localização geograficamente no período em que está presente no local. O intuito é incentivar as pessoas (comerciantes e consumidores) a usarem o aplicativo, oferecendo medalhas e recompensas para aqueles que se engajam e jogam regularmente. Alguns estabelecimentos comerciais podem, por exemplo, oferecer descontos e promoções às pessoas que fazem check-in (se geo localizam no aplicativo) no local.

Considerado uma tendência em marketing digital, sua função vem de encontro com o que os profissionais da área procuram: novas estratégias de entrosamento e engajamento entre as pessoas. Além dos profissionais, estudantes, entusiastas e a própria área Acadêmica, devem contribuir com o aprofundamento das discussões do tema aqui no Brasil visando compreender como potencializar essa ferramenta como estratégia de marketing.

Conhece algum outro sistema Gamificado? Comente conosco suas impressões sobre ele!


Crowdfunding e Gamification, novos conceitos, novos games!


Já falamos sobre o Crowdfunding e sobre Gamification, e recentemente pude conhecer um jogo genial que se utilizou destas duas técnicas.

O game “Zombies, Run!” que falaremos a seguir foi viabilizado através do Crowdfunding, arrecadando mais de 70 mil dólares pelo financiamento coletivo do site Kickstarter, por isso ressalto a importância desta ferramenta para os desenvolvedores de jogos atuais, que possuem ótimas ideias e poucos recursos.

Pois bem, além desta introdução outro fato que chama a atenção é a temática proposta pelo jogo baseada no conceito de Gamification onde transforma um aplicativo medidor de desempenho de corridas em um game com cenários apocalípticos. Onde ao invés de músicas para a prática do exercício, o jogador ouve sons de hordas de mortos-vivos o perseguindo, fazendo com que a pessoa se sinta dentro do jogo e corra para salvar a sua vida.

O mais interessante é que pelo caminho é possível coletar itens como munição, artigos de primeiros socorros e comida e após a realização do exercício, você deve decidir o que fazer com os suprimentos e explorar missões alternativas, que requerem objetivos específicos, e de acordo com o progresso do jogador são liberadas novas fases e itens especiais que facilitam na jornada.
Desenvolvido pela “Six to Start” o game sesta disponível para iOS (USA)por $7.99 e para Android por R$14,81, este game ultra imersivo deve fazer com que os corredores apreciem uma boa temática gamer e fará com que os gamers pratiquem um pouco de exercício, o que importa no final é a diversão e é claro não ser mordido por algum zumbi. 😀

Confira abaixo o vídeo sobre o jogo

Fonte: www.baixakijogos.com.br


Esporte é um jogo onde os atletas são os jogadores! Gamification!


Se alguém ainda tinha dúvidas se o “Gamification” poderia dar certo, a Nike com sua nova propaganda mostra que esta é uma tendência que veio para ficar!

A Campanha “Game On, World” coloca em evidência o conceito de “Gamification”, demonstrando a prática de esportes com elementos dos Games, a intenção é a de divulgar seus novos produtos que se integram a linha Nike+ .

Os produtos Nike + são acessórios que medem os resultados dos exercícios realizados e permite compartilhar os recordes de treinos com amigos nas redes sociais, trazendo uma nova experiência digital aos seus usuários.

O novo vídeo conta com estrelas como Ving Rhames e LeBron James, sendo que o herói desta propaganda tenta derrotá-los através do seu dispositivo Nike+ Basketball, e como pode ser percebido, as influências tanto de Super Mario Bros. como de Donkey Kong são bem evidentes.

Tornar Conceitos do mundo virtual num mundo real é a estratégia da Nike para ser percebida como uma empresa que alia o mundo dos esportes com as novas tendências tecnológicas, tornando a prática de exercícios algo muito além de um ato saudável, através da medição e compartilhamento dos resultados acrescentam o fator desafio, tornando esta experiência em algo único para cada consumidor!

“Quanto mais você joga, melhor você fica.

O mundo é seu playground. # Gameonworld”

Saiba mais:
www.meiosepublicidade.pt
www.brainstorm9.com.br


Jogando por um mundo melhor!


Recebi alguns comentários de pessoas que gostaram da postagem sobre Gamificação, e recebi a indicação de um vídeo interessantíssimo sobre o tema!

Trata-se de uma palestra da Game Designer Jane Mcgonigal. na qual ela explica como podemos “salvar mundos”, ela defende sua tese dizendo que através de incentivos podemos aprender os hábitos de heróis. Jane questiona a possibilidade de utilizarmos estes poderes para resolver problemas do mundo real.

Emoção clássica dos jogos, segundo Jane Mcgonigal

A palestra é um pouco extensa, pois ela realizou diversos estudos para defender sua teoria, mas vale muito a pena perder uns minutinhos assistindo, afinal quem não quer jogar por um mundo melhor?

Créditos: Mike Akama
Saiba mais em: www.ted.com 

Gamification ou Gamificação, já ouviu falar?


Este novo conceito “Gamification” (ou no português “Gamificação”) é considerado uma das ultimas tendências no setor de comunicação, marketing e negócios estando diretamente relacionados à área de motivação e interatividade.

O propósito do Gamification é utilizar a mecânica dos jogos aplicada a ambientes que não são games para tornar experiências chatas em algo interessante. Considerando que o consciente humano possui uma predisposição em se empenhar mais em jogos e competições, onde as tarefas pareçam mais divertidas. Esse conceito encoraja certos tipos de comportamentos até então inesperados.

GamificaçãoGamificaçãoPense que a ideia é trazer para o cotidiano das pessoas o uso de conceitos usados nos jogos, como o alcance de novos níveis, o acúmulo de pontos ou de símbolos de status (medalhas e troféus), simbologia de êxitos quando objetivos importantes são alcançados e barras de progresso para atividades reais. Sempre em troca de alguma recompensa.

Alguns dos exemplos mais conhecidos no mercado são: programas de pontos em cartões de crédito, programa de milhagens em companhias de voo e o Four Square nas redes sociais.

Esta ferramenta pode ser utilizada focada no púbico externo, servindo para a divulgação, avaliação, captação e fidelização de clientes. Como também para os funcionários através de jogos e simuladores que auxiliam a realizar a educação corporativa das empresas. Lembrando que por se tratar de uma nova tendência, muitos outros objetivos e resultados ainda serão descobertos.

No entanto, já começam a surgir ideias em áreas como a educação, a saúde e o meio ambiente, onde a recompensa não seria necessariamente algum desconto, mas a assimilação de informações e novos conceitos, em benefício do próprio usuário.

  • No Brasil, a técnica já começa a ser adotada por empresas como a desenvolvedora de jogos Mother Gaia, que irá usá-la para gerenciar a carreira de seus funcionários. Conforme cumprem metas, eles ganharão experiência, subirão de nível e aumentarão sua participação nos lucros.
  • O projeto pioneiro no país foi o Oásis Santa Catarina, que reuniu voluntários para ajudar as vítimas das chuvas que atingiram o estado em 2008. Por meio de gincanas virtuais e presenciais, eles construíram pontes, creches e praças nos locais atingidos. Hoje, o Oásis Mundi tenta levar a ideia para outros centros.
  • A empresa Kioos criou a primeira plataforma de gamificação brasileira com o objetivo de ajudar empresas de diversos setores a engajar e fidelizar seus usuários. (fonte wikipedia)

O Gamification veio para transformar situações cotidianas em jogos com e com isso os profissionais de marketing, já devem começar a pensar em como tornar esta interação entre o consumidor e a marca uma experiência única.

 

Leia mais em: